segunda-feira, setembro 18, 2006

Com neurose! (em ritmo de funk)

O maior pesadelo da minha vida é o tempo. Ele voa, faz ventar os planos, leva-os pra longe, num futuro com o qual não consigo mais sonhar. Como disse Monteiro Lobato na voz boneco-humana de Emília, você pisca e nasce, pisca e cresce, pisca e tem filhos, pisca e fica velho, até o dia em que pisca pela última vez. Dá vontade de manter os olhos abertos, lacrimejando de tanto arder, mas se isso impedir o pisca-pisca, tá valendo.

A rapidez da vida como um todo só perde mesmo para a fugacidade das 24 horas que compõem um dia. Exige-se tanto, perde-se tanto tempo com banalidades. Como uma pessoa consegue, em um dia, arranjar tempo para cuidar da saúde, alimentar-se, ficar bem-informada, ler aquele livro maravilhoso, manter a forma, estar sempre linda, trabalhar, ter momentos de lazer, administrar a grana, dar atenção à família, bater um papo com os amigos, procurar ver e ser vista e ainda fazer algo pela humanidade? Eu não consigo, estou sempre atrasada. Estou sempre correndo, perdendo os ônibus, dando desculpas esfarrapadas, maltratanto meu estômago de tanto estresse e agonia.

E a genialidade, onde fica? Não vai dizer que você nunca pensou em deixar uma obra sua para a posteridade? Eu já. Vou morrer frustrada se minha existência for só uma enxurrada de pisca-piscas inúteis.

Um comentário:

Ruivo disse...

Nossa, que bom esse post...